Todas as Notícias

Notícias 11 Outubro 2021

90 Anos - Cristo Redentor, braços abertos sobre o São João Batista

Avalie este item
(0 votos)

O monumento mais conhecido do Brasil, o Cristo Redentor, eleito uma das sete maravilhas do mundo moderno e incluído na lista de Patrimônios da Humanidade pela UNESCO, completa 90 anos neste dia 12 de outubro, também consagrado à Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida.

Localizada no topo do morro do Corcovado, a 709 metros acima do nível do mar, no Parque Nacional da Tijuca, a estátua do Cristo abraça a cidade do Rio e aponta com o braço direito para o cemitério mais famoso do país, o São João Batista, onde também descansa o criador do projeto, engenheiro e professor da Escola Politécnica, Heitor da Silva Costa (Rio de Janeiro, 25 de julho de 1873 — Rio de Janeiro, 21 de abril de 1947).

 


Assista a reportagem completa produzida pela Empresa Brasileira de Comunicação - EBC e veiculada pela TV Brasil.

 

Turismo Cemiterial

Inaugurado por Dom Pedro II em 1852, o São João Batista ocupa uma área de 183.123 metros quadrados em plena zona sul do Rio de Janeiro, aos pés do Cristo Redentor. Com centenas de ricos mausoléus e sepulturas adornadas por esculturas, reconhecidas obras da arte tumular brasileira, o cemitério sempre foi “o preferido dos astros e das estrelas”.


Segundo o Projeto Cultural Queridos para Sempre! no São João Batista também estão outros engenheiros e arquitetos que escreveram a história, como Oscar Niemeyer, Lúcio Costa, André Rebouças, Francisco Bethencourt da Silva, Edsom Passos e Saturnino Brito. Antes da pandemia, turistas de vários países visitavam as centenas de personalidades que em vida tiveram destaque nas áreas da política, da ciência, da arte, do esporte e da cultura, como Santos Dumont, José de Alencar, Machado de Assis, Osvaldo Cruz, Vital Brazil, Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Heitor Villa Lobos, Carlos Drumond de Andrade, Carmem Miranda, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Chacrinha, Clara Nunes, Cazuza, Evaristo da Veiga, nove ex-presidentes da República e diversos membros da nobreza e autoridades do período colonial. Destacam-se, ainda, os incontáveis heróis e militares de todas as armas, que ajudaram a defender e a escrever a história do Brasil.

 

A Maior Galeria de Art Nouveau

A grande quantidade de túmulos, esculturas e monumentos de diversas temporalidades, materiais e estilos, deram ao São João Batista o título de "maior galeria de Art Nouveau a céu aberto na América Latina".


O pórtico do cemitério se destaca por ser trabalhado em blocos de belo granito fluminense (Gnaisse Facoidal), encimada pela tarja da emblemática da Santa Casa de Misericórdia. Outro elemento construtivo de caracterização de época é o gradil de ferro monumental, produzido nas fundições fluminenses. No Cemitério São João Batista há elevado número de jazigos - capela de famílias burguesas inspirados nos estilos híbridos do início do século XX, construídos por marmoristas portugueses, italianos e brasileiros. Existem inúmeras obras de artistas que se dedicaram a feitura de esculturas funerárias, como Rodolpho Bernadelli, Octávio Corrêa Lima, Heitor Usai, Celita Vaccani, Leão Veloso e Humberto Cozzo. Destacam-se também obras dos escultores franceses Jean Magrou e Colin George, dos escultores italianos J. Guazzini, B. P. Giusti, Luca Arrighini e A. Canessa. 

 

Visão exclusiva do Cristo Redentor

O monumento foi concebido pelo engenheiro brasileiro Heitor da Silva Costa e construído em colaboração com o escultor francês Paul Landowski e com o engenheiro compatriota Albert Caquot, entre 1922 e 1931 na França, devido o pensamento dos franceses, de que os brasileiros não tinham experiência para construir a estátua. Foi inaugurada no dia 12 de outubro de 1931, dia de Nossa Senhora Aparecida e fica no bairro do Alto da Boa Vista.

Símbolo do cristianismo brasileiro, a estátua se tornou um ícone do Rio de Janeiro e do Brasil. Em 2011, em uma pesquisa de opinião pela internet, o Cristo Redentor foi considerado por 23,5 % de 1 734 executivos de todos os países da região como o maior símbolo da América Latina. O monumento também é um importante ponte de visitação, que recebe, em média, 2 milhões de turistas por ano. O Cristo Redentor é feito de concreto armado e pedra-sabão. Tem trinta metros de altura, sem contar os oito metros do pedestal, e seus braços se esticam por 28 metros de largura. A estátua pesa 1145 toneladas e é a terceira maior escultura de Cristo no mundo, menor apenas que a Estátua de Cristo Rei de Świebodzi na Polônia (a maior escultura de Cristo no mundo) e a de Cristo de la Concordia na Bolívia (a segunda maior escultura de Cristo no mundo).

 

Copie e compartilhe na sua rede social:


Fontes: Wikipédia e Queridos para Sempre

Lido 2142 vezes
Entre para postar comentários