Todas as Notícias

Notícias 14 Março 2021

Vítimas da Covid 19 ganham Memorial Queridos para Sempre! nos Cemitérios

Perdeu Alguém para a Covid? Conhece Alguém?

A pandemia está provando que os momentos de despedida, quando existem, são insuficientes para dizer como as pessoas foram importantes em nossas vidas. Especialistas afirmam que as homenagens amenizam a dor da perda e ajudam o tempo do luto a passar com mais leveza, mesmo que muitos anos tenham se passado. Por tudo isso, as vítimas da Covid 19 estão ganhando o Memorial Queridos para Sempre!

Toda cidade tem seus Queridos para Sempre. Pessoas que deram a vida por seus familiares, ou para salvar vidas de outras famílias. Hospedado nas nuvens, o Queridos para Sempre! é um Memorial Digital que inova na forma de prestar homenagem e de contar a história dessa tragédia para as futuras gerações.

O Memorial poderá ser visitado na internet (queridosparasempre.com), onde cada nome abre uma página, que as respectivas famílias podem completar com fotos, história de vida e homenagens dos amigos. No mundo real, quem visitar sedes de instituições patrocinadoras e cemitérios públicos ou privados, também poderá encontrar a placa de aço do Memorial e um código QRidos, lido com celular e internet. As listagens de cada cidade são as oficiais, fornecidas pelos órgãos públicos, cartórios ou cemitérios locais. Novas inclusões serão possíveis mediante atestados de óbito.

O Memorial Queridos para Sempre! é uma inicativa da StartUp Melhor Cidade, que nasce alinhada aos princípios da pandemia. As pessoas aprenderam a viver na internet e muitas não terão condições de visitar os cemitérios. Além disso, as cidades, impactadas pela crise econômica, podem prestar homenagens às vítimas e suas famílias de forma inovadora e de mínimo custo, sem necessidade de grandes obras. De seus celulares, todos podem visitar o Memorial da Cidade, cujas placas estarão espalhados pelos órgãos públicos, instituições privadas e nos cemitérios.

A pandemia do novo coronavírus é a maior tragédia da história recente do Brasil e do mundo, com efeitos trágicos para milhões de pessoas. Com a proibição de velórios e cerimônias de despedida, além das restrições à presença nos enterros, a iniciativa facilita e abre oportunidade para que os cemitérios públicos e particulares sejam a referência natural das homenagens de seus municípios em respeito às famílias.

Quem assistiu ao filme Festa no Céu - Livro da Vida, foi apresentado a três mundos: o dos "Vivos", o dos "Esquecidos" e o dos "Lembrados". O famoso desenho animado mostra o jeito mexicano de lidar com a realidade da morte, onde o mundo dos Lembrados é colorido e animado, enquanto o dos Esquecidos é cinza e triste.

 

Placa de Aço Personalizada para Cemitérios Públicos e Particulares, Instituições, Empresas e Órgãos Públicos.

 

Print de uma capa de página na tela do celular.

 

 

Informações sobre participação das cidades e cemitérios, pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. 

 

Notícias 02 Novembro 2020

Cemitérios do Rio recebem menos visitantes no Finados da Pandemia

Como já era esperado, o movimento nos cemitérios públicos e privados do Rio de Janeiro foi menor, em relação aos anos anteriores. Apesar da flexibilização, muitos preferiram ficar na segurança de suas casas ou aproveitar o feriado prolongado. No período da tarde, porém, o sol apareceu e o movimento aumentou.

As administrações cumpriram as determinações da prefeitura, medindo temperaturas e fornecendo alcool em gel, além de controlar a formação de grandes grupos m túmulos famosos. As tradicionais cerimônias foram suspensas ou limitadas.

Alguns cemitérios escolheram mostrar novidades na estrutura de atendimento e as ampliações da disponibilidade de jazigos ecológicos. (Veja reportagem sobre a Concessionária Rio Pax)

 


Imagens enviadas do Cemitério São João Batista:

 

 

 

 

 

 

 

Imagens enviadas do Cemitério de Campo Grande:

 

 

 

 

Imagens enviadas do Cemitério de Inhaúma:

 

 

 

 

Imagens enviadas do Cemitério de Jacarepaguá - Pechincha

 

 

 

 

Imagens enviadas do Cemitério de Irajá:

 

 

Notícias 12 Fevereiro 2020

Carnaval Além da Vida nos Cemitérios do Rio de Janeiro

Conhecida e reconhecida como o “Berço do Samba”, a cidade do Rio de Janeiro já exportou seu festejado carnaval para as regiões e países mais distantes do mapa. A festa mais popular do Brasil movimenta turistas encantados e foliões apaixonados, misturando gente que brinca e gente que trabalha, graças ao pioneirismo de personagens “Queridos para Sempre!”.

Carnavalescos, compositores, músicos, cantores e destaques que fizeram a história do carnaval, descansam nos cemitérios do Rio, ao lado de pessoas simples das comunidades e de outras celebridades ali sepultadas. Mas há quem diga que nos dias de folia, eles “voltem a viver” a alegria das suas canções e a beleza de suas criações. E que recebem muitos visitantes “vivos”, transformando os “campos santos” dos tempos do Império em verdadeiros museus a céu aberto.

 

O Projeto Cultural Queridos para Sempre!, iniciativa que ajuda a reescrever a história das cidades, identificando celebridades nos cemitérios e instituições públicas e particulares, divulgou uma lista de alguns jazigos que merecem visita, antes e depois do carnaval carioca.

 

No Cemitério São João Batista (administrado pela Concessionária Rio Pax), estão: Donga (autor do Primeiro Samba), Clovis Bornay, Dodô da Portela, Clementina de Jesus, Fernando Pamplona, Braguinha, Clara Nunes, Dircinha Batista, Linda Batista, Carmem Miranda, Zezé Gonzaga, Ademilde Fonseca, Mário Lago, Ary Barroso (compositor de Aquarela do Brasil), entre muitos outros.

 

No Cemitério do Caju – São Francisco Xavier (administrado pela Concessionária Reviver), estão Noel Rosa, José Bispo Clementino dos Santos – Jamelão, Angenor de Oliveira – Cartola, Dona Zica – Personalidade da Mangueira e Esposa de Cartola, Dona Neuma, Emilinha Borba, Dolores Duran, também entre muitos.

 

Em outros cemitérios, como em Jacarepaguá e na Ilha de Paquetá, estão os famosos Jovelina Pérola Negra e o Maestro Anacleto de Medeiros, respectivamente.

O Cemitério do Catumbi é mais uma importante atração cultural entre os cemitérios particulares. Lá estão, por exemplo, Ataulfo Alves – compositor, Catulo da Paixão Cearense - músico e compositor, Chiquinha Gonzaga - compositora e maestrina, Elton Medeiros – compositor, Guilherme de Brito – compositor, Ismael Silva – compositor e Luiz Melodia - compositor e cantor.

 

Inauguração do Projeto Cultural, em 2014

 

Notícias 10 Agosto 2019

Dia dos Pais nos Cemitérios do Rio tem homenagens e novidades da expansão.

Quem visitar os cemitérios públicos e privados da cidade do Rio de Janeiro, neste Dia dos Pais, poderá participar de diversos cultos religiosos e eventos programados para familiares e amigos.

As concessionárias Rio Pax S.A. (São João Batista, Inhaúma, Irajá, Pechincha - Jacarepaguá, Campo Grande e Piabas) e Reviver S.A. (São Francisco Xavier - Cajú, Murundú - Realengo, Ilha de Paquetá, Santa Cruz, Ricardo de Albuquerque, Ilha de Guaratiba e Cacuia - Ilha do Governador), que administram os cemitérios municipais desde agosto de 2014 e janeiro de 2015, respectivamente, continuam ampliando as instalações e inovando nos serviços. Todas as equipes de atendimento estarão de plantão desde a véspera, quando muitos antecipam as homenagens. (Veja o quadro Públicos em Expansão)

Entre os particulares, o Cemitério da Penitência terá programação especial. A dinâmica 'Pai, Porto Seguro' convidará os visitantes a posicionarem barquinhos de papel numa estrutura montada próximo ao Cemitério Vertical, formando um monumento em homenagem aos pais. Música de violino e estátuas vivas serão outras atrações.

No Memorial do Rio, o novo cemitério vertical localizado no início da Via Washington Luís, acontece a Celebração Especial “Porque Deus, para melhor se explicar criou um Pai na terra”. O evento está marcado para as 11:00 horas.

No Catumbi, o tradicional cemitério da região central da cidade, tem Missa Católica às 10:00 horas.

No Jardim da Saudade, em Sulacap e em Paciência, as Missas Católicas acontecem às 11:30 horas.

 

PÚBLICOS EM EXPANSÃO

Entre as novidades que serão mostradas ao público neste dia dos pais, estão os projetos de ampliação da capacidade de sepultamentos e modernização dos serviços prestados pelas concessionárias.

 

Concessionária Reviver S.A. (0800 022 1650)

 

No Cemitério de Guaratiba, o objetivo é integrar a simplicidade do local à beleza natural da região e à diversidade da vegetação nativa preservada no cemitério. A revitalização está garantindo modernidade e oferecendo jazigos verticalizados de locação, com tecnologia de tratamento de gases e criação de espaços de convivência, além de novos jazigos em formato de perpetuidade, para atender à crescente demanda.

 

O Cemitério de Santa Cruz recebe melhorias estruturais significativas nas instalações. Estão em andamento as obras de ampliação do novo espaço verticalizado, com moderno tratamento de gases e serviços ambientais.

 

Os maiores cemitérios da Reviver: Caju, Cacuia e Ricardo de Albuquerque, estão ganhando novos investimentos privados em infraestrutura, modernização, conforto e atendimento humanizado.

 

 

 

Concessionária Rio Pax S.A. (0800 726 1100)

 

O destaque da Rio Pax é o investimento de R$35 milhões estimados para o novo complexo vertical do Cemitério e Crematório São João Batista, totalmente equipado com tecnologia sustentável de ponta, além de reformas na área histórica. A verticalização segue tendência mundial e atende à alta demanda por vagas no município. Ao fim das obras, em 2020, a capacidade do cemitério será 30% maior.

 

Outras unidades da rede também receberam obras de ampliação, como os Cemitérios de Inhaúma e de Campo Grande. Para atender a crescente densidade populacional da região foram liberados mais 400 novas gavetas e quase mil nichos para guarda de restos mortais. A verticalização é o formato mais digno, sustentável e eficiente encontrado para a garantia de vagas na zona norte da cidade.

 

 

Daniela Mantovanelli, Coordenadora Geral da Coordenadoria Geral de Controle de Cemitérios e Serviços Funerários da Prefeitura do Rio de Janeiro – CGCS, tem afirmado em suas visitas técnicas, que trabalha com foco no “Atendimento humanizado e na Gestão Cemiterial eficiente”. “Estamos avançando para que o município do Rio seja uma referência nacional em serviços cemiteriais de excelência! Nossa população merece ser restituída em seus direitos no momento mais difícil de despedida do seu ente querido!”, finaliza.

Notícias 19 Junho 2019

O tradicional Catumbi moderniza instalações e ganha inovação de serviços

Perto de completar 170 anos, o Cemitério do Catumbi, próximo ao Túnel Santa Bárbara, passou por amplo processo de modernização das suas instalações, preservando sua peculiar arquitetura do século XIX. Ganhou um dos melhores crematórios do Rio, novas salas de velório equipadas com ar condicionado, internet e elevador, sistemas de informação e controle, restauração de jardins e ambientes de sepultamento, veículos e serviços especializados, além de treinamento profissional de sua equipe. Um exclusivo serviço funerário completa a lista de inovações de sua administração, com urnas de todos os modelos e homenagens para a despedida de entes queridos.

 

Inaugurado no ano de 1850, quando o bairro era um luxuoso recanto da então corte imperial, o tradicional Cemitério da Venerável Ordem Terceira dos Mínimos de São Francisco de Paula, é uma das principais necrópoles da cidade do Rio de Janeiro.

 

 

No conhecido “Cemitério da Nobreza Brasileira” podem ser encontradas famílias de todos os estados do Brasil, além de Portugal e outros países. Em suas capelas e jazigos perpétuos estão sepultados barões e baronesas, condes e condessas, viscondes e viscondessas, marqueses e marquesas, autoridades e personalidades da história. Conheça alguns dos ilustres do Catumbi:

  • Ankito - Ator e comediante do cinema
  • Ataulfo Alves - Compositor
  • Caíque Ferreira - Ator
  • Carmine Rocco - Arcebispo e Núncio Apostólico
  • Catulo da Paixão Cearense - Músico e compositor
  • Chico Feitosa - Compositor
  • Chiquinha Gonzaga (Francisca Edwiges Neves Gonzaga) - Compositora e maestrina
  • Duque de Caxias (Luís Alves de Lima e Silva) - Militar e político (exumado em 1949)
  • Francisco Braga - Maestro e compositor
  • Francisco Manuel da Silva - Músico e compositor brasileiro
  • Guilherme de Brito - Compositor
  • Ismael Silva - Compositor
  • José de Resende Costa, o filho - Inconfidente mineiro e deputado
  • Luiz Melodia - Compositor e cantor
  • Leopoldo Miguez - Compositor erudito
  • Luiz Gama Filho - Professor e ex-ministro
  • Marquês de Sapucaí - Senador e ex-ministro
  • Teófilo Ottoni - Jornalista, comerciante, político e empresário brasileiro
  • Visconde de Mauá (Irineu Evangelista de Souza) - Empresário, industrial, banqueiro e nobre
  • Visconde de Uruguai (Paulino José Soares de Sousa) - Político e ex-ministro da Justiça e dos Negócios Estrangeiros do Império

 

 

Mais Curiosidades:

Em 1810, foi proibido o enterramento nas igrejas e suas dependências, prática que permaneceu ainda em uso até meados do século XIX, causando grandes inconvenientes para a população que aumentava. A Igreja da Ordem de São Francisco de Paula, pelos anos de 1845 já contava com suas catacumbas quase inteiramente ocupadas. No ano de 1849, o comendador Manoel Pinto da Fonseca, então Corretor da Ordem, resolveu transferir o primitivo e acanhado cemitério das catacumbas para outro lugar, mais vasto e fora da cidade, adquirindo, para isso, os terrenos onde hoje está instalado o Catumbi.

No ano de 1850, a cidade do Rio de Janeiro sofreu com a epidemia da febre amarela. O grande número de vítimas que pereciam diariamente extrapolava os espaços disponíveis para os sepultamentos. O Governo Imperial resolveu apelar para a Ordem de São Francisco de Paula, única que então possuía campo santo extra-muro para seus mortos, até então exclusivo para os Irmãos da Ordem. Assim, sepultaram-se naquela ocasião cerca de 3 mil pessoas que não eram da Ordem. Foi nessa época que o Imperador D. Pedro II e as irmandades fundaram os primeiros cemitérios públicos do país. “O Catumbi foi o primeiro campo santo brasileiro, particular, a receber indígenas e escravos.”

 

 

 

Notícias 02 Novembro 2018

Cemitérios do Rio muito além do Dia de Finados

Pelo menos dois milhões de pessoas visitaram os cemitérios do Rio de Janeiro neste Dia de Finados, apesar do feriado prolongado. Como sempre, a chuva manteve a tradição de "chover no finados"; muitos viveram a triste experiência do finados pela primeira vez; nas ruas e portões, gente de todas as idades tentando ganhar a vida...

Mas o que se viu foi muito mais que a pluralidade dos atos religiosos e as várias ações de solidariedade programadas para o conforto das famílias. Os serviços cemiteriais e funerários disponíveis nos cemitérios públicos ganharam qualidade de gestão e se transformam para melhor a cada ano, provando que o processo de concessão pública foi decisão acertada. Acabou com as filas, devolveu a dignidade e apontou padrões de atendimento. Segundo a coordenadora-geral de Cemitérios e Serviços Funerários da Prefeitura do Rio de Janeiro, Daniela Mantovanelli, que participou dos principais eventos das redes pública e privada, "este é o caminho das muitas inovações que serão implementadas nos próximos meses".

 

Programação Cultural e Religiosa nos Cemitérios Particulares

Por outro lado, os cemitérios particulares, que investiram na expansão e modernização de instalações, aproveitaram a data para apresentar suas novidades aos milhares de usuários e potenciais clientes, numa programação repleta de homenagens e atrações culturais.

 

  

Cemitério da Penitência:

https://cemiteriodapenitencia.com.br

 

O tradicional Cemitério da Penitência, que em setembro inaugurou o maior complexo cemiterial da América Latina, considerando a diversidade de instalações, programou workshop, passeio cultural, apresentações musicais e missas em diversos horários. Pela manhã, as instalações do Cemitério Vertical e Crematório receberam as bençãos do Cardeal Arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta. "A tradição viva do Dia de Finados é a certeza de que a vida continua após a morte" disse. O cemitério ainda distribuiu flores e os visitantes puderam deixar mensagens nos murais da Campanha da Gratidão. O Sexteto da Orquestra da Maré fez sucesso.

 

 

A Coordenadora Daniela Mantovanelli com o Cardeal Arcebispo, Dom Orani Tempesta, entre os diretores do Penitência, Alberto Brenner Jr e Flávio Esteves. Daniela ainda acompanhou os eventos do Jardim da Saudade - Sulacap, do Memorial do Rio, e a tradicional missa pelos indigentes, sepultados em Santa Cruz.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

http://jardimdasaudade.com.br

 

A programação dos Cemitérios Jardim da Saudade (Sulacap e Paciência), reconhecidos entre os mais belos empreendimentos do país, recebeu milhares de visitantes durante todo o dia.

O Jardim da Saudade Sulacap realizou um Tributo em Memória dos Policiais Vítimas da Violência no Rio de Janeiro, com inauguração de monumento em solidariedade aos seus familiares. A Banda Sinfônica da PMRJ apresentou o Concerto – Manifesto “Pátria Amada Paz” no evento que contou com missas e músicas em vários ambientes.

Entre as atrações, uma Exposição Virtual (totens digitais) em homenagem aos PMs, e a presença do CVV – Centro de Valorização da Vida, com sua tradicional campanha de prevenção contra o suicídio.

No Jardim da Saudade Paciência um Tributo pela Paz, dedicado à esperança de um futuro melhor para o país e para o Rio, abriu a programação. Músicos do Theatro Municipal apresentaram o Concerto – Manifesto “Pátria Amada Paz”.

 

 

 

 

 

 

 

 

http://memorialdorio.com.br

 

O primeiro Cemitério Vertical construído fora do complexo do Caju, o Memorial do Rio (Via Washington Luís) ajudou a amenizar a dor dos familiares com apresentações musicais e cultos religiosos. Os visitantes ganharam um “tour” pelos diversos ambientes do cemitério, cuja arquitetura lembra um hotel de várias estrelas. Os músicos se apresentaram com violino, saxofone, flauta e teclado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como foi o movimento de visitantes nos Cemitérios Públicos

 

http://concessionariariopax.com.br

 

Cemitério São João Batista:

 

 

Cemitério de Campo Grande:

 

Cemitério de Irajá:

 

Cemitério de Inhaúma:

 

Cemitério de Jacarepaguá:

 

 

 

 

http://concessionariareviver.com.br

 

Cemitério do Caju:

 

Santa Cruz:

 

Ilha de Guaratiba:

 

Ilha de Paquetá:

 

Murundu (Realengo):

 

Ricardo de Albuquerque:

 

Cacuia (Ilha do Governador):

 

 

 

 

Imagens: Edvaldo Silva, Sandro Augusto, Patrícia Porto, Sérgio Amaral e colaboradores.

 

Notícias 31 Outubro 2018

Finados no Rio: Cemitérios Públicos e Particulares tem programas culturais e religiosos

Quem visitar os cemitérios públicos e particulares do Rio de Janeiro neste Finados, entre 7h e 18h, vai encontrar diversos atos religiosos e várias ações programadas para o conforto das famílias e amigos que mantém a tradição de reverenciar seus mortos em nome da fé.

Para atendimento de eventuais dúvidas e emergências, foram treinadas equipes de orientação sobre os novos serviços cemiteriais e funerários disponíveis em cada local, desde que os cemitérios do Rio ganharam mais atenção dos poderes públicos municipais. Os principais cemitérios estão em processo de expansão e modernização de suas instalações, que serão apresentadas aos milhares de usuários e potenciais clientes.

A coordenadora-geral de Cemitérios e Serviços Funerários da Prefeitura do Rio de Janeiro, Daniela Mantovanelli, estará presente nos principais eventos.

 

Respeito à Diversidade e Liberdade Religiosa

Apesar do feriado em plena sexta-feira, o que deve estimular muitas viagens no fim de semana prolongado, todos os programas especiais de missas católicas, cultos protestantes e de matrizes africanas ou orientais foram mantidas pelas respectivas instituições, principalmente nos cemitérios públicos, sob responsabilidade das Concessionárias Reviver e Rio Pax.

A Arquidiocese do Rio de Janeiro, por exemplo, divulgou sua programação, que contará com a estrutura de segurança e saúde dos cemitérios nas principais regiões da cidade. O Dia de Finados também será comemorado em todas as cidades do estado.

 

http://concessionariariopax.com.br

 

Os principais cemitérios da Concessionária Rio Pax (São João Batista, Campo Grande, Irajá, Inhaúma e Pechincha), foram preparados para os milhares de visitantes que todos os anos prestam homenagem aos seus entes queridos. Entidades religiosas de diversos segmentos decidiram participar da programação e dos atendimentos ao público.

As religiões de matriz Afro-Brasileira planejaram cultos e prestação de serviços sociais, a partir das 8:30h.

A Igreja Católica realizará Missas de hora em hora.

A Igreja Evangélica cuidará da distribuição de água, prestação de serviços sociais e distribuição de literatura devocional, em horários variados.

 

 

http://concessionariareviver.com.br

 

Cemitério do Caju:

Missas de hora em hora, desde às 8h até 17h.

Como nos anos anteriores, a Concessionária terá profissionais de saúde para medição de níveis de glicose e de pressão arterial, além de distribuição de água e botões de rosas.

 

Santa Cruz:

Missas às 8h, 9h, 11h e 15h, sendo que a última será celebrada pelo Cardeal Arcebispo Dom Orani Tempesta.

 

Ilha de Guaratiba:

Missa às 8h

 

Ilha de Paquetá:

Missa às 10h

 

Murundu (Realengo):

Missas às 8h, 10h, 12h, 14h e 16:30h, sendo que a última será realizada pelo bispo diocesano de Nova Friburgo, Dom Edney Gouvêa Mattoso.

 

Ricardo de Albuquerque:

Missas de hora em hora, desde às 8h até 17h.

 

Cacuia (Ilha do Governador):

Missas às 9h, 11h, 14h e 17h. Terços e louvores católicos às 8h, 10h, 15h e 16h

 

 

 

Cultura e Tradição nos Cemitérios Particulares. Programação começa na véspera.

 

Cemitério da Penitência:

https://cemiteriodapenitencia.com.br

 

O tradicional Cemitério da Penitência, que recentemente inaugurou o maior complexo cemiterial da América Latina, considerando a diversidade de instalações, vai apresentar suas novidades entre atrações culturais e cerimônias que começam na véspera.

Dia 1º de Novembro

11h – Workshop “Flores para todas as vidas”, com a trainer em Programação NeuroLinguística e diretora da Flores e Seres, Sandra Braconnot.

14h – Passeio Cultural com Milton Teixeira. Tema: Museu Nacional. Participação do grupo O Corsário Carioca e do ator Tiago Azevedo.

 

Dia 2 de Novembro

Missas às 8h, 10:30h e 15h, sendo que a Benção do Cardeal Arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta está prevista para as 9h.

O Sexteto da Orquestra da Maré fará apresentação às 9:15h.

O cemitério fará a distribuição de flores e apresentará a Campanha da Gratidão.

 

 

 

http://jardimdasaudade.com.br

 

Reconhecidos entre os mais belos empreendimentos do país, os Cemitérios Jardim da Saudade (Sulacap e Paciência) terão programações distintas.

O Jardim da Saudade Sulacap realizará um Tributo em Memória dos Policiais Vítimas da Violência no Rio de Janeiro, com inauguração de monumento em solidariedade aos seus familiares. A Banda Sinfônica da PMRJ apresentará o Concerto – Manifesto “Pátria Amada Paz” no evento que começa às 10h e termina às 12h.

Quem visitar o Cemitério Parque, em Sulacap, também vai conhecer uma Exposição Virtual (totens digitais) em homenagem aos PMs.

O CVV – Centro de Valorização da Vida, promoverá sua tradicional campanha de prevenção contra o suicídio.

A programação religiosa tem missas católicas às 8h, 11h, 14h e 16h. O culto evangélico começa às 13h.

 

Jardim da Saudade Paciência

Em Paciência, o Jardim da Saudade realizará um Tributo pela Paz, dedicado à esperança de um futuro melhor para o país e para o Rio.

Músicos do Theatro Municipal apresentarão o Concerto – Manifesto “Pátria Amada Paz”. Na inauguração do Tributo o público será convidado a participar do Hino Nacional. O evento começa às 10h.

A missa católica está programada para as 11h e o culto evangélico para as 12h.

 

 

http://memorialdorio.com.br

 

O primeiro Cemitério Vertical construído fora do complexo do Caju, o Memorial do Rio (Via Washington Luís) anunciou uma programação que promete amenizar a dor dos familiares. Entre apresentações musicais e cultos religiosos, os visitantes ganham um “tour” pelos diversos ambientes do cemitério, cuja arquitetura lembra um hotel de várias estrelas. Os músicos se apresentam com violino, saxofone, flauta e teclado.

O Culto Ecumênico começa às 10:30h com a presença do Pastor Edison Teixeira da Silva, da Igreja Metodista (Queimados). Na outra parte do evento, às 11:30h, a Missa será proferida pelo Padre Valnei Pomponet Oliveira, da Igreja N. Srª. da Glória (Cordovil).

      

 

 

 

http://cemiteriodocatumbi.com.br

 

Neste Finados o centenário Cemitério do Catumbi (Ordem de São Francisco de Paula), abre suas portas totalmente renovado em suas instalações e equipamentos. Visitantes ainda podem passear pelas dezenas de túmulos de personalidades da história, das artes, das letras...

As Missas começam às 8h, 9h, 10h, 11h, 16h e 17h

 

Notícias 17 Setembro 2018

Remy poderia ter sido cremado, mesmo sob suspeita de assassinato em Segundo Sol?

O destaque da mídia na semana passada foi o personagem Remy (Vladimir Britcha), que morreu misteriosamente na novela Segundo Sol, da Rede Globo. O vilão foi assassinado a facadas e seu corpo cremado em cerimônia familiar. A cena da cremação gerou diversas dúvidas no público, sugerindo a necessidade de maior divulgação sobre o processo, a legislação, as autorizações necessárias, etc.

Afinal, em caso de morte sob suspeita, o corpo pode ser cremado?

Não Pode. Porém...

Em casos onde o falecimento tenha ocorrido por morte violenta, ou seja, homicídio, suicídio, acidente de trânsito ou qualquer tipo de morte sob suspeita, a cremação de corpos é proibida judicialmente. Nestes casos a cremação só poderá ocorrer com autorização judicial. Com o aval do Instituto Médico Legal – IML, o juiz da comarca onde ocorreu o óbito terá que fornecer a competente e responsável autorização, lembrando que uma vez cremado, o corpo jamais poderá ser utilizado em exames de DNA, por exemplo.

 

No Brasil, o processo de cremação é orientado pela Lei Federal nº 6.015, de 31 de dezembro de 1973. No seu artigo segundo, estão especificadas todas as exigências legais para o procedimento.

Tendência mundial, a cremação é uma prática que preserva o meio ambiente e ameniza os problemas da lotação cemiterial, além de ser uma forma prática e de baixo custo, culturalmente aceita em diversas partes do mundo. Assim, vale a pena falar mais sobre o assunto.

 

Quando poderá ocorrer a cremação de corpos?

Tudo fica mais fácil se, em vida, a pessoa tiver manifestado este desejo a seus familiares mais próximos e, neste caso, o atestado de óbito deve ser firmado por dois médicos...

Por outro lado, quando ocorrer morte natural e a pessoa, em vida, não manifestou discordância em ser cremada, a autorização para cremação é concedida pelo parente mais próximo do falecido e deve ser testemunhada por duas pessoas.

 

A lista de exigências pode variar conforme a cidade, porém, além de todos os documentos do falecido, são necessários os seguintes procedimentos:

  • Declaração de intenção do falecido, ainda em vida, registrada em cartório, ou autorização do parente mais próximo (cônjuge ou filhos) também registrada em cartório;
  • Declaração de óbito assinada por dois médicos (em caso de morte natural);
  • Declaração de óbito assinada por um médico legista e autorização judicial (em caso de morte violenta).

 

 

Crematórios do Rio

A cidade conta com quatro complexos: Crematório do Cajú (São Francisco Xavier), do Carmo, da Penitência (inauguração no dia 26 de setembro), do Catumbi e Memorial do Rio (em fase final de aprovação).

 

O crematório do Cajú, o primeiro do estado do Rio de Janeiro, recebeu atualização tecnológica e ambiental.

 

  

 

 

De olho na lei, Prefeitura do Rio coordena ações integradas.

O município do Rio de Janeiro mantém um órgão que unifica os procedimentos e fiscaliza o trabalho integrado dos crematórios com cemitérios e funerárias. A Coordenadoria Geral de Controle dos Cemitérios e Serviços Funerários – CGCS, promove reuniões gerais e setoriais, na sede da Secretaria Municipal de Conservação e Meio Ambiente, no Estácio.

Segundo a titular da pasta, Daniela Guedes, foram desenvolvidas diversas soluções de gestão e mecanismos de controle da qualidade dos serviços funerários e cemiteriais. “A busca por eficiência  e segurança está cada vez mais presente em nossas equipes técnicas, que acompanham e alinham os planos de expansão das empresas com as necessidades futuras da nossa cidade”, completa.

 

Daniela Guedes anuncia comissão de estudos sobre a legislação local para animais de estimação e outros.

 

 

Das reuniões mensais participam representantes de todos os serviços cemiteriais e funerários que atuam na cidade. Diretores e administradores das Concessionárias Reviver e Rio Pax, diretores dos Sindicatos Estaduais das Funerárias e dos Cemitérios Particulares, diretores de empresas funerárias, laboratórios e velórios particulares.

 

 

 

 Quadro 1)

 

COMO É O PROCESSO DE CREMAÇÃO?

 

1) CERIMÔNIA DE DESPEDIDA

Após o velório tradicional e a última homenagem de amigos e familiares, o corpo é transportado para o crematório.

2) METAIS E VIDROS REMOVIDOS
Retiram-se as alças de metal e eventuais vidros da urna.

3) CÂMARA FRIA
Por lei, deve-se aguardar 24 horas após o óbito antes de dar início à cremação propriamente dita. Enquanto não é cremado, o corpo permanece em uma câmara fria.

4) MOMENTO DA CREMAÇÃO
O caixão com o corpo é colocado em um forno de combustão rápida e não poluente em uma temperatura de 1.200 graus.

5) SEM FUMAÇA E SEM ODOR
A câmara primária é o local onde é feita a queima do corpo. Este processo libera gases que são sugados e queimados na câmara secundária a uma temperatura máxima de 1.200 graus.

6) NO FINAL APENAS RESTOS CREMADOS
As cinzas de um adulto pesam entre 1kg e 1,8kg e são recolhidas por uma abertura no forno. Em seguida são homogeneizadas, colocadas em uma urna cinerária e entregue a família, na data combinada.

7) DESTINO FINAL

Algumas cidades já disponibilizam locais para a guarda anual ou perpétua das urna, pensando nas famílias que não desejam se desfazer das cinzas de seus entes queridos. Consulte o crematório.

 

 

 

Quadro 2)

 

DOCUMENTOS

 

Quais os documentos necessários para ser cremado?

Se você deseja ser cremado, o mais recomendado é informar aos seus familiares a sua vontade e deixar uma Declaração de Vontade escrita e assinada, com reconhecimento em cartório. Caso isso não ocorra, a decisão pela forma que você será sepultado caberá aos seus familiares de primeiro grau, ou seja, cônjuges, pais, avós, filhos, netos e irmãos — que devem ser maiores de 18 anos e estarem munidos da respectiva documentação:

Se a pessoa a ser cremada não tiver parente de grau direto

Nesse caso, será preciso obter uma autorização judicial que deverá ser requisitada pelos familiares de segundo grau junto ao Poder Judiciário, apresentando os seguintes documentos:

  • Certidão de óbito;
  • Declaração do delegado não se opondo à cremação;
  • Boletim de Ocorrência (em caso de mortes violentas).

Caso o falecimento tenha ocorrido por causas naturais

Nesta situação, é preciso que a família ou o responsável apresente:

  • Atestado de óbito assinado por dois médicos;
  • Autorização de cremação devidamente preenchida e assinada por um parente de grau direto e duas testemunhas, com firma reconhecida;
  • Cópia do CPF e do RG do falecido;
  • Cópia da Certidão de Casamento ou de Nascimento do falecido.

Se o falecimento tiver ocorrido por morte violenta

Em casos de morte violenta, é preciso apresentar alguns documentos específicos que autorizam a cremação do corpo — indicando que o mesmo já foi analisado pela Polícia e pelos médicos do IML. Afinal, depois de cremado, é impossível indicar a causa da morte para um possível inquérito policial. Os documentos necessários são:

  • Atestado de óbito assinado por um médico legista;
  • Autorização de cremação assinada por um parente de grau direto e duas testemunhas, com firma reconhecida;
  • Autorização judicial, com declaração do delegado da polícia responsável pelo inquérito e do IML alegando que não se opõe à cremação;
  • Boletim de Ocorrência;
  • Cópia do RG, do CPF do falecido e do membro da família que autoriza a cremação;
  • Cópia da certidão de nascimento ou de casamento do falecido.

Nos casos de cremação de ossos

Além da cremação de cadáveres, também é possível, mediante autorização da família, realizar a exumação dos restos mortais para a cremação. Porém, para que isso ocorra, é preciso que sejam seguidas algumas regras ambientais e higiênicas.

A cremação de ossada é feita em um forno diferente da cremação de corpos e costuma ter duração de uma até três horas. Para estes casos, é preciso apresentar:

  • Autorização de cremação devidamente preenchida e assinada por um parente de grau direto e duas testemunhas, com firma reconhecida;
  • Declaração do cemitério ou guia de arrecadação da exumação com a informação dos dados do exumado, como nome, data do falecimento, número da quadra e nome do cemitério onde estava sepultado e número do túmulo;
  • Cópia do RG e do CPF do parente autorizante;
  • Certidão de casamento ou de nascimento do falecido.

Nos casos de cremação de ossos e morte violenta

Assim como nos casos de falecimento por morte violenta, a cremação de ossos também necessita de uma autorização judicial, informando que a cremação dos restos mortais não interferirá no inquérito policial. Então, é preciso apresentar:

  • Autorização judicial;
  • Autorização de cremação;
  • Declaração do cemitério com os dados do exumado ou Guia de arrecadação de exumação;
  • Cópia autenticada do atestado de óbito;
  • Cópia do RG e do CPF do parente que autoriza a cremação;
  • Certidão de nascimento ou de casamento do falecido.

Nos casos de cremação de membros

Quando uma pessoa sofre uma amputação, existem duas possibilidades — ou o próprio hospital encaminha o membro para a incineração ou o paciente poderá providenciar o sepultamento da parte, que pode ser feita de maneira tradicional em um cemitério ou via cremação. Para isso, é preciso apresentar:

  • Declaração de dois médicos constando a causa e o membro amputado, em receituário próprio;
  • Autorização de cremação;
  • Cópia do RG e do CPF da pessoa amputada.

No município do Rio de Janeiro, além dos documentos citados, é preciso seguir um procedimento próprio da CGCS, que estabelece um cronograma de gestão das Concessionárias. Anualmente, ambas se alternam na responsabilidade pela coleta e pelo fluxo de sepultamentos e/ou cremações nos Cemitérios Públicos e Particulares.

Nos casos de cremação de estrangeiros não residentes no país

Se a morte teve causas naturais, será preciso apresentar:

  • Autorização emitida pela autoridade judicial competente, após solicitação formulada pelo consulado do país responsável pela emissão do passaporte do falecido, constando nome e cargo de quem formulou a autorização;
  • Cópia do passaporte e do documento de identidade do falecido.

Quais passos posso decidir ainda em vida para ser cremado?

Como você pode notar, ser cremado é algo que envolve bastante burocracia e, por isso, deixar encaminhada a sua Declaração de Vontade e conversar antecipadamente com a família sobre os seus desejos é muito importante. A Declaração de Vontade é um documento em que uma pessoa manifesta a sua vontade de ser cremada ou de doar os seus órgãos após o seu falecimento perante um tabelião.

Podem ser feitos vários tipos de declaração para esse fim, bastando apenas que o declarante se dirija até um cartório portando seus documentos de identidade e declare a sua vontade — e que tenha conhecimento da sua responsabilidade cível e criminal, para que o documento, assim, tenha efeitos jurídicos. Esse é um passo importante para garantir que a sua vontade seja cumprida após seu falecimento, independente da decisão dos seus familiares. Além disso, uma boa maneira de se preparar é adquirindo um plano funerário, por exemplo, que permite o pagamento antecipado de todos os custos envolvidos no processo de cremação.

 

Atenção: este conteúdo possui caráter geral e meramente jornalístico. As informações locais devem ser confirmadas no crematório da sua cidade.

Fontes:

http://ipaxapp.com

http://www.bosqueesperanca.com.br

http://cemitériosemmistério.com.br 

 

 

Rio de Janeiro 18 Junho 2019

Cemitério São Francisco de Paula "Catumbi"

Perto de completar 170 anos, o Cemitério do Catumbi, próximo ao Túnel Santa Bárbara, passou por amplo processo de modernização das suas instalações, preservando sua peculiar arquitetura do século XIX. Ganhou um dos melhores crematórios do Rio, novas salas de velório equipadas com ar condicionado, internet e elevador, sistemas de informação e controle, restauração de jardins e ambientes de sepultamento, veículos e serviços especializados, além de treinamento profissional de sua equipe. Um exclusivo serviço funerário completa a lista de inovações de sua administração, com urnas de todos os modelos e homenagens para a despedida de entes queridos.

 

Inaugurado no ano de 1850, quando o bairro era um luxuoso recanto da então corte imperial, o tradicional Cemitério da Venerável Ordem Terceira dos Mínimos de São Francisco de Paula, é uma das principais necrópoles da cidade do Rio de Janeiro.

 

 

No conhecido “Cemitério da Nobreza Brasileira” podem ser encontradas famílias de todos os estados do Brasil, além de Portugal e outros países. Em suas capelas e jazigos perpétuos estão sepultados barões e baronesas, condes e condessas, viscondes e viscondessas, marqueses e marquesas, autoridades e personalidades da história. Conheça alguns dos ilustres do Catumbi:

  • Ankito - Ator e comediante do cinema
  • Ataulfo Alves - Compositor
  • Caíque Ferreira - Ator
  • Carmine Rocco - Arcebispo e Núncio Apostólico
  • Catulo da Paixão Cearense - Músico e compositor
  • Chico Feitosa - Compositor
  • Chiquinha Gonzaga (Francisca Edwiges Neves Gonzaga) - Compositora e maestrina
  • Duque de Caxias (Luís Alves de Lima e Silva) - Militar e político (exumado em 1949)
  • Francisco Braga - Maestro e compositor
  • Francisco Manuel da Silva - Músico e compositor brasileiro
  • Guilherme de Brito - Compositor
  • Ismael Silva - Compositor
  • José de Resende Costa, o filho - Inconfidente mineiro e deputado
  • Luiz Melodia - Compositor e cantor
  • Leopoldo Miguez - Compositor erudito
  • Luiz Gama Filho - Professor e ex-ministro
  • Marquês de Sapucaí - Senador e ex-ministro
  • Teófilo Ottoni - Jornalista, comerciante, político e empresário brasileiro
  • Visconde de Mauá (Irineu Evangelista de Souza) - Empresário, industrial, banqueiro e nobre
  • Visconde de Uruguai (Paulino José Soares de Sousa) - Político e ex-ministro da Justiça e dos Negócios Estrangeiros do Império

 

 

Mais Curiosidades:

Em 1810, foi proibido o enterramento nas igrejas e suas dependências, prática que permaneceu ainda em uso até meados do século XIX, causando grandes inconvenientes para a população que aumentava. A Igreja da Ordem de São Francisco de Paula, pelos anos de 1845 já contava com suas catacumbas quase inteiramente ocupadas. No ano de 1849, o comendador Manoel Pinto da Fonseca, então Corretor da Ordem, resolveu transferir o primitivo e acanhado cemitério das catacumbas para outro lugar, mais vasto e fora da cidade, adquirindo, para isso, os terrenos onde hoje está instalado o Catumbi.

No ano de 1850, a cidade do Rio de Janeiro sofreu com a epidemia da febre amarela. O grande número de vítimas que pereciam diariamente extrapolava os espaços disponíveis para os sepultamentos. O Governo Imperial resolveu apelar para a Ordem de São Francisco de Paula, única que então possuía campo santo extra-muro para seus mortos, até então exclusivo para os Irmãos da Ordem. Assim, sepultaram-se naquela ocasião cerca de 3 mil pessoas que não eram da Ordem. Foi nessa época que o Imperador D. Pedro II e as irmandades fundaram os primeiros cemitérios públicos do país. “O Catumbi foi o primeiro campo santo brasileiro, particular, a receber indígenas e escravos.”

 

 

 

Cemitério São Francisco de Paula (Catumbi)
Venerável Ordem Terceira de São Francisco de Paula
Largo do Catumbi, 120

http://cemiteriodocatumbi.com.br

Tels: (21) 21 99174-1624 / 99166-7505 / 3217-0345

Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



Horários: 24 horas