Cemitérios Particulares

Notícias 14 Novembro 2016

Deu no Extra: Cemitérios oferecem página em livro virtual para homenagear mortos.

O epitáfio, que resume em uma frase, precedida do “aqui jaz”, tudo que o morto representou em vida para familiares e amigos, parece estar com os dias contados. A internet sepultou as homenagens curtas. Agora, é possível fazer a biografia da pessoa que partiu, rechear com fotos e vídeos e armazenar na nuvem, para ser consultada por parentes e amigos em qualquer tempo e lugar, por meio de celular ou computador.

Rosilene e a filha, no túmulo da mãe, usam cartão com código para acesso à página Foto: Rafael Moraes / EXTRA

A novidade, batizada de "Dears Book" (Livros dos Queridos), é uma extensão do “Queridos Para Sempre”, que em dois anos cadastrou 200 personalidades no cemitério São João Batista, em Botafogo, e cem no Caju, na Zona Portuária. O serviço agora chega aos outros mortais, desde que os familiares paguem de R$ 800 a R$ 1.200, dependendo da complexidade da pesquisa.

A pessoa ainda recebe cem cartões com código de acesso às informações, para distribuir entre familiares e amigos, e a senha que permite atualização, incluindo comentários. A lápide também ganha código (Qr) para visualizar a biografia durante visitas. As informações também estão na internet (www.queridosparasempre.com.br). A vendedora Rosilene Silva de Souza, de 46 anos, recorreu ao projeto para perpetuar a memória da mãe Maria Helena Silva de Souza, morta em abril, aos 65, e sepultada no Jardim da Saudade, em Sulacap.

— É a forma de preservar a memória dela para as futuras gerações. Minha mãe era uma pessoa humilde, mas deu um grande exemplo ao criar três filhos sozinha — afirmou.

 

Reportagem de Geraldo Ribeiro

Leia mais: Jornal Extra

Notícias 28 Abril 2015

Donos de sepulturas abandonadas correm risco de perder direitos

Quem tem parentes sepultados em jazigos, gavetas, columbários ou nichos de família, em qualquer dos cemitérios públicos da cidade do Rio de Janeiro precisa atualizar as informações de cadastro. É o que afirmam os novos concessionários que passaram a administrar os 13 cemitérios locais após a saída da Santa Casa: a Rio Pax (São João Batista, Inhaúma, Irajá, Jacarepaguá, Campo Grande e Piabas) e a ReViver (São Francisco Xavier - Cajú, Murundú - Realengo, Paquetá, Santa Cruz, Ricardo de Albuquerque, Guaratiba e Cacuia - Ilha do Governador)

Para que possam garantir seus direitos na nova legislação, é essencial manter atualizados os dados do titular e das pessoas autorizadas a solicitar sepultamentos ou outros procedimentos. Segundo os administradores, é um processo simples e rápido onde, após avaliação da documentação, será emitido um certificado digital conferindo o título de perpetuidade.

A RioPax, que assumiu em agosto de 2014, abriu sua campanha com o tema "Quem é vivo sempre aparece", para recadastramento direto nos cemitérios da rede, pelo site www.riopax.com.br, ou pelo telefone 0800 726 1100. A Reviver também atualiza as informações diretamente nos cemitérios, ou atende pelo 0800 282 5672.

 

Rio de Janeiro 31 Janeiro 2015

Cemitério Comunal Israelita do Rio de Janeiro

Cemitério Comunal Israelita do Rio de Janeiro
Rua Mons. Manoel Gomes, 311 - Caju
Fones: (21) 2580-4379 e 2509-3474
EMail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Site: cemiteriosdorio.com.br/israelita

Horários:

Gostou? Compartilhe!

Tudo que você precisa saber sobre os cemitérios do estado do Rio de Janeiro, num só lugar! Mande Notícias

Entre nas Redes

         

Veja Mais

Legislação dos Cemitérios e Funerárias
Conheça o Decreto sobre as atividades cemiteriais e funerárias. Veja Mais

Curiosidades sobre os Cemitérios
O cemitério do Catumbi foi o primeiro do Brasil construído a céu aberto destinado a não-indigentes. Veja Mais

A Maior Galeria de Arte