Imprimir esta página
Concessão dos Cemitérios do Rio inspira Concessão dos Cemitérios de São Paulo
Notícias 01 Novembro 2021

Concessão dos Cemitérios do Rio inspira Concessão dos Cemitérios de São Paulo

Avalie este item
(0 votos)

A Prefeitura do Município de São Paulo retomou o processo de concessão dos 22 cemitérios públicos da capital para o setor privado. Foram feitas adequações à proposta inicial, barrada pelo Tribunal de Contas em três tentativas. O plano do prefeito Ricardo Nunes é passar toda a administração do serviço funerário para a iniciativa privada. A Prefeitura diz que os cemitérios precisam de reformas e ampliações, além da criação de outros três crematórios, e que o caixa do município não suporta esse gasto. A solução encontrada pelo Rio de Janeiro em 2014, abriu as portas para o setor privado.


O valor total previsto para a concessão é de R$ 559 milhões. Além disso, as empresas que arrematarem os quatro lotes deverão repassar 4% da arrecadação mensal para o município. No prazo total dos contratos - que será de 25 anos - a Prefeitura estima que irá arrecadar R$ 6 bilhões. Segundo o edital, as concessionárias deverão reformar os velórios, as capelas, as áreas administrativas e de serviços de todos os cemitérios, além de ampliar o serviço de crematório. Atualmente, a cidade só possui um crematório público, o da Vila Alpina.

 

No Rio de Janeiro a concessão deu certo e deve estimular outras cidades


Em 2014 a gestão dos 13 cemitérios cariocas foi transferida para as Concessionárias Rio Pax S.A. e Reviver S.A., inaugurando uma nova história no setor cemiterial e funerário da cidade. Milhões em investimentos privados deram mais dignidade aos ambientes e aos familiares, depois de ações de modernização e de treinamento do pessoal. Reformas de emergência e ampliações com milhares de jazigos também solucionaram o velho problema da falta de capacidade para novos sepultamentos.


Segundo usuários e gestores do órgão coordenador dos serviços, a cidade teria vivido um verdadeiro caos durante a pandemia do coronavírus, sem as concessionárias. "Nem dá para imaginar como seria", afirmam.


As instalações dos seis cemitérios da Rio Pax, por exemplo, foram inicialmente reformadas e os cemitérios históricos devidamente restaurados. Depois, as antigas capelas deram lugar à novas construções, amplas, modernas e confortáveis, como nos bairros de Inhaúma, Campo Grande, Irajá e agora em Jacarepaguá.

 

 

 

 

 

Lido 2702 vezes
Entre para postar comentários