Todas as Notícias

Notícias 05 Junho 2016

Projeto ReviVerde mostra responsabilidade ambiental da Concessionária Reviver

Avalie este item
(0 votos)

Depois da iniciativa de implantar projetos de preservação da memória cultural, com pesquisa e identificação dos jazigos de personalidades e de importância histórica e artística (Projeto Queridos para Sempre!), e de preservação do ambiente cemiterial, para destinação correta de resíduos da atividade cemiterial (Projeto ReviVerde), a Concessionária Reviver lançou neste 5 de junho - Dia do Meio Ambiente, o levantamento das espécies que procuram abrigo nos cemitérios sob sua responsabilidade: Caju, Ilha do Governador, Ricardo de Albuquerque, Realengo, Santa Cruz, Ilha de Guaratiba e Ilha de Paquetá.

Ambientalistas e biólogos trabalham para identificar as espécies da fauna brasileira e preservar seus abrigos, ninhos e filhotes. Segundo os primeiros resultados da nova fase do Projeto ReviVerde, milhares de aves e animais vivem no ambiente cemiterial do Rio atraídos pela quantidade de árvores produtoras de sementes e frutas, além da proximidade de matas e maciços florestais.

Ainda no mês de junho, visitantes, funcionários e vizinhos dos cemitérios da Reviver deverão receber noções básicas de educação ambiental, sobretudo para não depositar lixo e restos de alimentos no chão e sobre os túmulos; não acender velas fora dos locais indicados para cerimônias religiosas; não levar nem abandonar animais domésticos, como cães e gatos; não colocar gaiolas e armadilhas para pássaros e animais.

Durante a atualização cadastral, os usuários também são informados sobre o estado de conservação de seus túmulos, alguns construídos entre árvores nas décadas passadas e danificados por raízes que cresceram ao lado ou dentro deles. “A escolha das espécies corretas de arborização e decoração dos jazigos poderia evitar esses danos”, afirmam os novos gestores.

O ReviVerde inicia contato com os órgãos de saúde pública, para encontrar soluções ecológicas para cobras, aranhas, abelhas, marimbondos, pombos, morcegos, ratos e outros roedores e vetores que podem colocar em risco os funcionários e visitantes. Além disso, colabora com órgãos policiais e de fiscalização para coibir a colocação de gaiolas por caçadores e traficantes de animais que tradicionalmente agiam nestes locais, contra a Lei de Crimes Ambientais.

 

Espécies catalogadas em todos os cemitérios da Reviver:

Animais (Calango, Caxinguelê, Gambá, Mico Estrela, Tatu Peba, Teiú)

Pássaros (Andorinha, Anu Branco, Anu Preto, Beija-Flor Tesoura, Beija-Flor de Papo Branco, Bem-Te-Vi, Bico de Lacre, Cambacica, Canário da Terra, Coleirinha, Corruíra, Coruja Buraqueira, Curió, Fogo Apagou, Gavião Caracará, João-de-Barro, Maritaca, Pica-Pau, Jurití, Quero-Quero, Rolinha, Sabiá Laranjeira, Sanhaço Cinza, Saracura, Tiê Sangue, Tucano de Bico Preto, Viuvinha)

 

 

Ferramenta Tecnológica

Outra novidade é a disponibilização de QR Code para identificar essas espécies. Basta aproximar o smartphone do código digital, que o visitante terá em seu celular as informações referentes a cada tipo de animal que habita nos cemitérios do Caju, Cacuia, Guaratiba, Paquetá, Realengo, Ricardo de Albuquerque e Santa Cruz, que são administrados pela Concessionária Reviver.  

 

 

O Projeto acontece no Caju e em todos os cemitérios da Reviver

 

Lido 761 vezes

Gostou? Compartilhe!

Tudo que você precisa saber sobre os cemitérios do estado do Rio de Janeiro, num só lugar! Mande Notícias

Entre nas Redes

         

Veja Mais

Legislação dos Cemitérios e Funerárias
Conheça o Decreto sobre as atividades cemiteriais e funerárias. Veja Mais

Curiosidades sobre os Cemitérios
O cemitério do Catumbi foi o primeiro do Brasil construído a céu aberto destinado a não-indigentes. Veja Mais

A Maior Galeria de Arte